7/4/2020 - Trabalho voluntário proporciona mais qualidade de vida a pacientes oncológicos

   No Dia Mundial de Combate ao Câncer (8/abr), o Hospital Amaral Carvalho (HAC) ressalta a importância do trabalho voluntário e do apoio social. Com uma rede composta por mais de quatro mil pessoas que amparam pacientes oncológicos, a instituição sabe dos impactos desse tipo de atividade.
   Além do tratamento especializado, com foco na segurança do usuário, o HAC prioriza o acolhimento e atendimento integral das necessidades do doente. “Não se trata apenas da quimioterapia, radioterapia, cirurgia ou outros procedimentos médicos, esses são imprescindíveis para a cura. Mas a qualidade de vida e bem-estar dos pacientes dependem também do suporte que recebem: saber dos seus direitos, a ajuda para retirar um medicamento, a doação de itens de higiene ou alimentos, uma visita ou palavra de conforto de voluntários. Atividades desse tipo fazem toda diferença”, relata o diretor de Apoio Social Eduardo Piragino.
   Há 24 anos, o HAC viabiliza e mantém parceria com grupos de voluntários em várias cidades, a maioria do interior paulista, para prestação de assistência a pacientes carentes. Hoje, são mais de 100 Ligas de Combate ao Câncer que oferecem apoio aos doentes e seus familiares. “Esse trabalho é de extrema importância. Um estudo do Registro Hospitalar de Câncer do HAC comprovou que, nas cidades onde voluntários atuam, os índices de cura e sobrevida são 12,4% superiores”, afirma.
    De acordo com o diretor, essa rede é fundamental para a continuidade no tratamento. “Sabemos que há um índice de abandono de tratamento de câncer no estado de São Paulo por dificuldades socioeconômicas, porém, no Hospital Amaral Carvalho já faz alguns anos que esse índice é zero, justamente pela cobertura de assistência social promovida pela instituição e as Ligas de Combate ao Câncer que zelam pelos pacientes em suas cidades".

Outros serviços
   O HAC oferece assistência aos usuários através do Centro de Apoio ao Paciente (CAP), local amplo que acomoda pacientes ambulatoriais enquanto aguardam pelas consultas e procedimentos, e o Espaço Cultural Amaral Carvalho (Ecac), que desenvolve atividades como passatempos e oficinas de arte e culinária.
   Pacientes que residem em outros municípios e precisam permanecer na cidade por dias consecutivos, mas não têm condições de custear hospedagem e alimentação, podem ficar nas Casas de Apoio do HAC, gratuitamente. “Nesses locais, têm à disposição leito com roupas de cama, toalhas de banho, itens de higiene pessoal, pelo menos cinco refeições diárias, apoio de equipe multiprofissional, transporte ao hospital e atividades de entretenimento”, relata o diretor.
   O hospital mantém ainda o setor de Assistência Social, que dá instruções sobre direitos, orienta sobre altas hospitalares, transporte e outras dúvidas dos pacientes.


 Diretor de Apoio Social ressalta a importância do trabalho voluntário e assistência social: "Atividades desse tipo fazem toda diferença"

Autor: Ariane Urbanetto