Comissão Transfusional

Tem como objetivo aumentar a segurança nas transfusões sanguíneas, com particular atenção nos incidentes transfusionais. A RDC 153 de 24 de junho de 2004 preconiza que “o serviço de saúde que tenha serviço de hemoterapia deve constituir um comitê transfusional, multidisciplinar, do qual faça parte um representante do serviço de hemoterapia que o assiste”.
Tem a missão de garantir o uso apropriado dos hemocomponentes, devendo atuar com ênfase na prescrição, distribuição, manuseio, dispensação, administração e monitorização da resposta de pacientes.
A Hemovigilância é o conjunto de procedimentos de vigilância organizados após a coleta de sangue e de seus componentes seguidos até o receptor, com o objetivo de avaliar informações sobre os efeitos não esperados ou indesejáveis da utilização terapêutica dos componentes lábeis (concentrado de hemácia, plasma e plaqueta). O processo tem como finalidade prevenir o aparecimento destes componentes, assim, como informações sobre incidentes graves ou não esperados no doador. Todas as informações relativas à reação transfusional devem ser registradas no prontuário e na ficha transfusional do paciente.
A equipe se reúne trimestralmente para discutir mudanças, procedimentos e implantação de técnicas na agência transfusional do hospital.

Contato
danielaometto@amaralcarvalho.org.br