12/6/2015 - Amaral Carvalho terá nova área inaugurada

Entre as atividades de comemoração do centenário do Hospital Amaral Carvalho, a instituição realiza no dia 13 de junho a inauguração de uma importante área que inclui o Centro Cirúrgico, a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e setores de apoio.

Após 14 anos, as obras foram concluídas com verba dos governos federal e estadual. O setor irá proporcionar melhorias no atendimento aos pacientes.

O projeto teve início em 2001 com recursos financeiros do Ministério da Saúde. De acordo com o diretor Superintendente, Antonio Luís Cesarino de Moraes Navarro, os convênios determinaram a execução de partes individualizadas da obra. “Todos os planos de trabalho aprovados foram definidos de acordo o capital liberado, delimitando começo, meio e fim”, explica.

Em virtude de artigo da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) que impedia a utilização de recursos federais, na categoria despesa / investimento para a utilização em novas obras ou que tiveram início depois do ano 2000, a partir de 2004 o Hospital Amaral Carvalho não teve mais convênios firmados com o Ministério da Saúde para essa finalidade. “Por isso, as obras ficaram paralisadas entre 2006 e 2012”, lembra o Superintendente.

Para concluir o projeto, a instituição contou com apoio do governo estadual, que liberou R$ 11 milhões, nos últimos dois anos.

Estrutura - O prédio de dois andares tem área construída de 6.064 m². No térreo fica a recepção geral, no 1º piso a Central de Material e Esterilização e a UTI, e o Centro Cirúrgico no 2º piso.

Aproximadamente 1.200 procedimentos foram realizados por mês no antigo centro cirúrgico, entre cirurgias oncológicas de alta complexidade, cirurgias bariátricas e outras de menor complexidade. A capacidade será aumentada na nova unidade que conta com 12 salas cirúrgicas e 20 leitos de recuperação.

A média da antiga UTI é de 120 pacientes atendidos por mês, com 10 leitos.  A capacidade será duplicada, com 20 leitos para atendimentos internos de urgência e emergência, hemodiálise e realização de transplantes de medula óssea – procedimento no qual o HAC é referência nacional.

O espaço onde funcionavam o Centro Cirúrgico e a UTI deverá abrigar o Hospital da Mulher e a Unidade de Internação do setor Cuidados Paliativos.

Galeria de imagens e vídeosclique na imagem para ampliar

Fonte: Agência 14 News

URL: http://migre.me/ql3XU