18/6/2015 - HAC sedia palestra sobre dor como sinal vital na rotina de enfermagem

   “A implantação da Dor como 5º sinal vital na rotina de enfermagem”. Esse foi o tema da palestra que lotou a sala Professora Maria Aparecida Cesarino, do Hospital Amaral Carvalho (HAC), no dia 15. Mais de 50 participantes estiveram na atividade: profissionais de enfermagem da instituição, estudantes da área e funcionários de outros serviços de saúde.
   A palestrante Franciellen Katuiccy Notaro Moretto faz parte de um grupo de enfermeiras que visitam hospitais em todo o País para chamar a atenção sobre a dor. O evento em Jaú foi promovido pelo HAC em parceria com o laboratório Mundipharma.
   Durante a apresentação, a enfermeira falou sobre dor crônica e aguda, epidemiologia e o impacto da dor no câncer. “É importante identificar, quantificar, registrar, tratar e reavaliar os sinais de dor do paciente, para atender com maior qualidade às suas necessidades”, disse.
   Segundo Franciellen, nem sempre a origem desse transtorno é física, mas pode surgir de fatores emocionais, sociais ou econômicos. “É preciso saber ouvir o paciente e ter uma visão ampla dos acontecimentos para evitar novos sintomas”, ressaltou.

Cuidados Paliativos
   A especialista Ana Lúcia Coradazzi, responsável pela Unidade de Controle da Dor e Cuidados Paliativos do HAC, explica que a preocupação da dor como importante indicador existe na instituição há sete anos, quando o setor foi implantado e, desde então, busca acolher os enfermos com dignidade.
   De acordo com a médica, a participação da enfermagem é essencial, principalmente no tratamento oncológico. “São eles que acompanham e cuidam integralmente do paciente. Por isso, essa capacitação é importante: a equipe consegue entender as possíveis condições do paciente e saber como lidar da melhor forma”, completa.

Galeria de imagens e vídeosclique na imagem para ampliar

Autor: Departamento de Comunicação e Marketing / Fotos: Ana Carolina Candelaria