07/07/2020 - Julho Verde destaca sintomas que podem indicar câncer de cabeça e pescoço

O mês de julho é destinado à campanha de conscientização e prevenção do Câncer de Cabeça e Pescoço. A ação, nomeada de Julho Verde, foi criada pela Associação de Câncer de Boca e Garganta (ACBG) Brasil e todos os anos conta com o apoio do Hospital Amaral Carvalho (HAC) para chamar a atenção para os tumores que atingem boca, faringe, laringe, seios da face e tireoide.

Segundo o médico otorrinolaringologista do HAC, Otávio Augusto Iavarone, é necessário estar sempre atento para algumas alterações que podem ser sinais indicativos para a doença. “Os principais sintomas do câncer de cabeça e pescoço são feridas, úlceras ou nodulações na boca, rouquidão, dor de garganta, dificuldade para engolir, que não melhoram após 15 dias. Nódulos no pescoço ou tireoide também pedem atenção.”

De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), a cada ano são diagnosticados mais de 40 mil novos casos desses tumores no Brasil, na maioria homens. No País, os tipos mais comuns são os que afetam a boca, laringe e tireoide. Em 2019, foram diagnosticados 408 novos casos de pacientes com tumores nessas regiões entre os meses de janeiro e outubro no Hospital Amaral Carvalho.

“Muitas vezes, os sintomas são negligenciados e isso faz com que o diagnóstico seja tardio, trazendo um tratamento com perda na qualidade de vida, com comprometimento na fala, deglutição ou mesmo sequelas estéticas ou psicológicas.”

Reabilitação

Os carcinomas de cabeça e pescoço são alguns dos que mais trazem impactos na vida dos pacientes, por conta das sequelas relacionadas a alterações na aparência física, na respiração, fala, voz, mastigação e deglutição. Por isso, o Hospital Amaral Carvalho oferece, além do tratamento para cura do câncer, atendimentos gratuitos para reabilitação, oferecendo qualidade de vida e bem-estar aos pacientes.

“Precisamos cuidar desse paciente por completo, por isso, é tão importante ajuda-lo na reabilitação das funções alteradas com o tratamento do câncer”, destaca a fonoaudióloga do HAC, Renata Furia Sanchez. Muitas vezes, é necessário reestabelecer as funções de fala, voz, mastigação e deglutição desses pacientes, dependendo da sequela estabelecida com o tratamento.

Além disso, a unidade conta também com o departamento de Prótese Bucomaxilofacial, que integra o setor de Odontologia do HAC. O departamento é responsável pela confecção de próteses com tecnologia 3D feitas sob medida para pacientes que sofrem mutilação na face durante o tratamento oncológico. As próteses ofertadas gratuitamente aos pacientes são custeadas integralmente pelo hospital. Os equipamentos de impressão 3D foram inaugurados na semana passada e trazem agilidade no processo de produção dos itens. “Conseguimos fazer próteses de olhos, nariz e orelha. Com as peças, conseguimos devolver o paciente, que antes se isolava em casa, de volta para o convívio social”, explica o cirurgião-dentista e coordenador do departamento, Cassiano Alves Ferreira Neto.

O hospital oferece também tratamento inovador com laserterapia, em parceria com a Universidade de São Paulo (USP) de São Carlos, indicado para pessoas submetidas à radioterapia e quimioterapia para tratamento de câncer de cabeça e pescoço. “Pacientes com tumores nessa região podem apresentar mucosites, que é uma doença inflamatória na região interna da boca e que pode levar ao surgimento de úlceras dolorosas”, conta a cirurgiã-dentista responsável pelo ambulatório de laserterapia do HAC, Priscila Delamano Criado de Bem.
A terapia é feita com laser de baixa intensidade para prevenção e tratamento dessas feridas. O procedimento é indolor e seguro e auxilia na reabilitação de hábitos simples como mastigar e beber água.

Autor: Estela Capra