3/2/2020 - Dia Mundial do Câncer alerta para a importância da prevenção e do diagnóstico precoce

   Para reduzir o impacto do câncer no mundo, a União Internacional para Controle do Câncer, com apoio da Organização Mundial da Saúde (OMS), comemora o Dia Mundial do Câncer, em 4 de fevereiro, desde 2000. A iniciativa, que completa 20 anos, incentiva a mobilização de governos e da população para evitar milhões de mortes a cada ano.
 O oncologista clínico do Hospital Amaral Carvalho (HAC) Carlos Mendonça Beato afirma que a data é um importante alerta para a prevenção e diagnóstico precoce da doença. “Só conseguimos melhorar os índices de cura e sobrevida se a detecção do câncer for feita logo no início, quando os tumores podem ser tratados mais facilmente e com respostas muito positivas”.
 Beato destaca que, com tecnologias cada vez mais complexas e investimentos em recursos e equipes altamente qualificadas, o HAC oferece tratamento de excelência a pacientes vindos de todo o Brasil. “Promovemos a saúde e bem-estar também através de programas de prevenção com orientações gratuitas à comunidade sobre sintomas que podem levar à detecção de diferentes tipos de câncer e possibilitar maiores chances de cura”.
 O médico ressalta que a população deve estar atenta à saúde e buscar atendimento especializado sempre que notar alguma alteração. “Mulheres devem estar em dia com exames, como mamografia e Papanicolaou. Os homens devem realizar periodicamente o teste de PSA e toque retal, após os 50 anos. Todos devem manter hábitos saudáveis, com alimentação equilibrada, prática de exercícios e evitar o consumo de álcool e cigarro”, exemplifica.

Sentindo na pele
   No início de 2019, a jauense Érica Granado, se assustou com o diagnóstico de um câncer. “Sempre tive uma pinta perto do pescoço, mas nunca tinha reparado nela. De repente, começou a mudar de cor e dobrou de tamanho. Foi quando meu esposo me levou ao Programa de Prevenção do Amaral Carvalho para ver do que se tratava”, lembra.
   Um melanoma, tipo mais agressivo de câncer de pele, foi o resultado da biópsia. Em menos de uma semana, a paciente já tinha passado por consulta com a dermatologista do HAC e agendado a cirurgia de remoção do câncer. “Fiquei maravilhada com a rapidez que permitiu um tratamento mais tranquilo. Não precisei de nenhuma terapia além dessa pequena cirurgia”, comemora.
   Hoje, Érica leva uma vida normal, mas passou a se cuidar mais. “Uso protetor solar, evito a exposição ao sol e sempre examino a minha pele. Agora sei da importância de me cuidar”, afirma.


 A jauense Érica Granado comemora: "Fiquei maravilhada com a rapidez que permitiu um tratamento mais tranquilo. Não precisei de nenhuma terapia além dessa pequena cirurgia"

Autor: Ariane Urbanetto