3/10/2019 - Novo equipamento aumenta efetividade de exames sorológicos no Hemonúcleo

   O Hemonúcleo Regional de Jaú comemora mais uma conquista que garante a qualidade e melhorias contínuas nos serviços que beneficiam doadores de sangue e pacientes de toda a região. A unidade modernizou seu parque tecnológico com implantação do equipamento Alinity, para realização de exames sorológicos para detecção de doenças transmissíveis pelo sangue, como HIV, Sífilis e Hepatites B e C.
   De acordo com a fabricante, Abbott Diagnostics, o Hemonúcleo do Hospital Amaral Carvalho (HAC) é o primeiro banco de sangue no estado de São Paulo a utilizar o equipamento. Durante a entrega e treinamento da equipe, o coordenador de experiência do consumidor da empresa, Macaiver Brito de Carvalho, explicou que a máquina representa o alinhamento com as necessidades dos clientes. "É um sistema inovador e com maior produtividade operacional. A capacidade é de até 200 testes por hora”.
   O hematologista responsável pelo Hemonúcleo, Marcos Mauad, destaca um diferencial do novo equipamento: ele não permite a interferência da biotina, substância presente em suplementos alimentares ou em tratamentos dermatológicos, nos resultados das amostras testadas. “A biotina pode interferir no resultado dos exames sorológicos, gerando o falso negativo, o que não é aceitável",comentou.
   O médico afirma que o principal objetivo do serviço é garantir a segurança transfusional em todas as etapas, entre elas, a realização dos exames para que não haja transmissão de doenças na transfusão de sangue. “Há anos, nossa sorologia é automatizada. Agora, temos o Alinity, com alto padrão diagnóstico, que mantém a qualidade e tem vantagens operacionais, como velocidade na produção dos exames, agilizando processos".
  

Saiba mais
Criado em 1994, o Hemonúcleo Regional de Jaú é uma importante unidade do Hospital Amaral Carvalho onde são desenvolvidos processos que garantem a quantidade e qualidade dos hemocomponentes para atender Jaú e microrregião.
O serviço está integrado ao Programa Nacional de Sangue e Hemoderivados do Ministério da Saúde e ao Programa de Transplante de Medula Óssea, atendendo aproximadamente 350 mil habitantes distribuídos em nove municípios e 11 hospitais.

 

Autor: Ariane Urbanetto