19/9/2019 - Pediatria do Hospital Amaral Carvalho promove ato simbólico contra o câncer infantojuvenil

    Na manhã desta quinta-feira (19/set), a equipe da Pediatria do Hospital Amaral Carvalho (HAC) fez uma breve pausa nas consultas e exames para realizar em Jaú/SP um ato simbólico em comemoração ao Setembro Dourado, mês de conscientização sobre o câncer infantojuvenil. Crianças e adolescentes em tratamento, familiares, ex-pacientes e profissionais da saúde se reuniram no Parque do Rio Jahu para soltar balões dourados em homenagem a todos que lutam e lutaram contra a doença.
   O evento contou também com a participação e apoio de alunos da Residência Multiprofissional do HAC, integrantes do grupo de voluntários, Remédicos do Riso, Polícia Militar, agentes municipais de trânsito e imprensa local, que ajudou a divulgar a iniciativa. “Todos juntos por uma causa tão importante. Esse gesto é uma celebração das vitórias, um reforço da luta de tantas crianças e, principalmente, um alerta para o diagnóstico precoce”, lembrou a oncopediatra Larissa Polis Moreira.
   A residente de enfermagem Raquel Rosanelle afirma que esse tipo de mobilização desperta a curiosidade das pessoas para causas relevantes. “A educação em saúde e promoção da importância da prevenção são diferenciais do HAC que contribuem, e muito, com a sociedade”, comentou.

O câncer infantojuvenil
   De acordo com Larissa, o câncer infantojuvenil é a principal causa de morte entre crianças e adolescentes no Brasil. “Quando detectado logo no início, as chances de cura são altas, mais de 70% no geral, e ultrapassam 90% em alguns tipos”, afirmou.
   A médica explica que os sintomas podem ser confundidos com os de doenças comuns da infância, como vômitos e dores pelo corpo, e por isso, retardam o diagnóstico. “É importante que os pais fiquem atentos às queixas dos filhos e aos sinais persistentes, como febre sem causa e que não passa, e procurem atendimento médico.”

Referência
   Para Matheus Zanetti (22), além de descobrir a doença em fase inicial, o tratamento em um serviço de referência é essencial. O jovem, que descobriu um linfoma em 2014, participou do ato nesta manhã, e agradeceu à equipe da Pediatria do Hospital Amaral Carvalho pelo acolhimento. “Não é fácil receber um diagnóstico de câncer, num momento você não sabe o que tem, e de repente você se vê sem chão. E lá nos sentimos em casa, todo mundo te trata bem e temos segurança”, disse emocionado. 

Galeria de imagens e vídeosclique na imagem para ampliar

Autor: Ariane Urbanetto