27/07/2018 - Pacientes alertam sobre câncer de cabeça e pescoço

Na manhã de hoje, um grupo de pacientes laringectomizados totais – que foram submetidos à remoção total da laringe - do Hospital Amaral Carvalho (HAC) participou de uma ação da campanha Julho Verde, de prevenção e diagnóstico precoce do câncer de cabeça e pescoço, no Parque do Rio Jaú. Eles entregaram para a população folhetos educativos contendo informações sobre a doença.
O dia 27 de julho foi instituído como o Dia Mundial do Câncer de Cabeça e Pescoço, mas durante o mês todo o HAC realizou ações de orientação e advertência para os principais sinais, fatores de risco e maneiras de prevenção.
A fonoaudióloga do HAC Renata Fúria e a psicóloga Viviane Totina acompanharam o grupo, que, durante boa parte da manhã, abordou jovens e idosos que se exercitavam no parque para entregar os informativos. “Acho essa ação muito importante. Eu já tive câncer e sei como é essencial o diagnóstico precoce para aumentar as chances de cura”, disse o aposentado Gonçalo Alves Romão, que passava pelo local.
Os pacientes estavam animados com a repercussão da campanha e satisfeitos por terem recibo tanta atenção da comunidade. “Entregamos para todo mundo aqui na redondeza”, comemorou Gervásio Aizza, que faz tratamento no hospital.
O câncer de cabeça e pescoço é um dos que mais geram impactos sociais devido às sequelas impostas pela doença relacionadas a fala, respiração, deglutição e alterações na aparência do indivíduo. Os tumores, porém, têm bom prognóstico quando descobertos precocemente.
Em 2017, o setor de cabeça e pescoço do hospital atendeu a 395 novos casos, e desde 2000, quando foi criado o serviço, foram cerca de 10 mil pacientes do Brasil inteiro.

Sobre o Departamento de Cabeça e Pescoço do HAC
O Hospital Amaral Carvalho é pioneiro no serviço de Cirurgia de Cabeça e Pescoço, com atendimento voltado a pacientes com diagnóstico de câncer ou forte suspeita da doença nas vias superiores, pele da face e da região cervical, das glândulas salivares e tireóide.
Os encaminhamentos ao hospital são feitos por guia de atendimento das secretarias municipais de saúde. Após análise do quadro clínico, é agendada uma consulta, sendo os casos mais graves atendidos preferencialmente.

Galeria de imagens e vídeosclique na imagem para ampliar

Autor: Juliana Parra