11/09/2013 - Tromboembolismo é tema de dissertação de mestrado de enfermeiro chefe do Hospital Amaral Carvalho

   Através do conhecimento, podemos mudar o futuro. Esse é o lema do enfermeiro chefe da Unidade de  Internação Tóraco Abdominal e do Serviço de Cirurgia Bariátrica do Hospital Amaral Carvalho (HAC), Alessandro Gabriel Macedo Veiga. Na busca de reconhecimento e atualização constante, o enfermeiro natural de Itararé / SP, concluiu no início deste ano mestrado na Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Botucatu e já pensa em iniciar o doutorado no próximo ano.
   Alessandro afirma que seus estudos, os trabalhos científicos que realiza (já com vários artigos publicados) e a dissertação do mestrado integram seu objetivo profissional: promover melhorias em seu local de trabalho e contribuir para o atendimento de saúde de qualidade. “Por isso, os temas que estudo são sempre pertinentes ao meu dia a dia e conto com o apoio da instituição para isso”, ressalta.
  Em sua dissertação de mestrado, orientado pelos médicos Celso Roberto Passeri (HAC) e pela bióloga Izolete Aparecida Thomazini dos Santos (Unesp), Alessandro propôs  um protocolo de enfermagem para prevenção do risco do tromboembolismo em pacientes oncológicos. “Escolhi esse tema por se tratar de uma comorbidade grave, cujo risco de evolução em pacientes com câncer é maior e, principalmente, porque há e precisa de prevenção”, explica.

Protocolos
   De acordo com Alessandro, o tromboembolismo venoso é uma condição séria e existem vários protocolos médicos e para pacientes em geral. “No entanto, em meu trabalho propus um protocolo para profissionais de enfermagem com relação à prevenção da doença em pacientes de câncer, ou seja, uma proposta para minha realidade diária.”
   O mestre em biotecnologia  médica / enfermagem salienta que realizou o estudo com pacientes do Hospital Amaral Carvalho que tiveram diagnóstico de trombose venosa profunda (internados entre 1 de janeiro a 31 de dezembro de 2011) com a aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa da instituição.

Resultados
    Além da aprovação no mestrado, Alessandro relata que há um projeto piloto na unidade de Internação Tóraco Abdominal de realização do protocolo proposto em sua dissertação. “Temos o objetivo ainda de formar uma comissão de tromboembolismo no HAC com foco na prevenção e tratamento da doença, buscando a excelência no atendimento aos pacientes”, completa.

SAIBA MAIS
    O que é tromboembolismo?
   É um coágulo (trombo) de sangue que pode ser formado por diversos motivos, dentre eles, o acometimento pelo câncer. Ao se desprender, esse coágulo pode obstruir uma veia ou artéria, evoluindo para trombose em qualquer parte do corpo. Dependendo da situação de ocorrência, pode levar à morte.

    Por que o risco de evolução em pacientes oncológicos é maior?
    O câncer debilita todo o organismo do paciente e com isso outras doenças se proliferam com facilidade, dentre elas, a trombose.

   Quais são as medidas preventivas?
  São atitudes preventivas o uso de medicamento prescrito pelo médico ou medidas mecânicas como: deambulação precoce após cirurgia (andar); o uso de meias elásticas de compressão; elevação dos membros inferiores (pernas);  quando sentado, deixar as pernas esticadas em apoio, seguindo sempre orientações da enfermagem especializada. 

Alessandro Gabriel Macedo Veiga: através do conhecimento, podemos mudar o futuro

Autor: Ariane Urbanetto