25/6/2016 - 'É preciso investigação rigorosa', diz Alckmin sobre jovem morto por PM

O governador Geraldo Alckmin esteve na região Centro-Oeste Paulista cumprindo agenda de compromissos na sexta-feira (24) e no sábado (25). Durante a passagem dele por Bauru (SP), Alckmin comentou o caso da morte do jovem Bryan Bueno, de 22 anos, morto durante uma abordagem policial em Ourinhos no dia 9 de junho. Ele confirmou que viu as imagens do circuito de segurança que mostram a ação dos policiais, mas afirmou que tudo deve ser investigado.

 “Nós temos 130 mil policiais no estado de São Paulo, policiais militares, civis e científicos e uma polícia que é a melhor do país, mas pode haver erros e para isso é preciso ter uma boa corregedoria, um trabalho sério. Então em um caso que pode ter havido um erro é preciso investigação rigorosa, então vamos aguardar o término das investigações”, afirmou o governador.

O delegado responsável pelo caso pediu a prisão temporária do policial que fez o disparo. A defesa dele alega que o tiro foi acidental. Ele chegou a ser detido em flagrante, mas foi liberado até que as investigações sejam concluídas. Na Justiça Militar, ele responde por homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

Mas, para a Polícia Civil, ele assumiu o risco de matar ao abordar o jovem com a arma em punho. “Fica claro que o policial militar (...) quando efetuou a abordagem segurando a camisa da vítima Bryan Cristian Bueno da Silva com uma das mãos e apontando a arma de fogo, tipo pistola, com a outra, para o peito do jovem, no mínimo assumiu o risco de produzir o resultado morte ao dispará-la”,  aponta o relatório da Delegacia de Investigações Gerais de Ourinhos.

O pedido de prisão leva em consideração também, além de todas as informações da investigação, as imagens da abordagem que foram registradas pelo circuito de segurança de um estabelecimento comercial. O pedido ainda está na promotoria e aguarda definição da Justiça.

O jovem, que morava em Santa Cruz do Rio Pardo, foi atingido no pescoço. Ele foi socorrido pelo Samu, mas chegou já sem vida na Santa Casa.

Compromissos na região
Em Bauru, o governador autorizou o o início das obras de construção das marginais da Rodovia Marechal Rondon. O trecho tem pouco mais de 22 quilômetros e passa pelo perímetro urbano. O investimento é quase R$ 200 milhões e deve terminar em abril de 2018. A ideia é tirar o fluxo de veículos que usam a Rondon como avenida e diminuir o número de acidentes. As obras serão iniciadas na próxima segunda-feira.

Na sexta-feira, em Ibirarema, Alckmin inaugurou o terminal rodoviário, que custou R$ 450 mil aos cofres públicos. Ainda em Ibirarema, o governador entregou a reforma da Unidade Básica de Saúde, obras de asfaltamento e um Centro de Convivência para Idosos. Ainda no evento, prefeitura e CDHU assinaram convênio para a construção de 91 casas para pessoas de baixa renda.

O investimento de R$ 9 milhões que deve começar no primeiro semestre do ano que vem. “Nós estamos autorizando aqui o término da infraestrutura para o término do Distrito Industrial aqui de Ibirarema, a prefeitura conseguiu uma importante área às margens da rodovia Raposo Tavares”, destacou.

 Em Fernão, o governador inaugurou a Escola Estadual Coronel Eduardo de Souza Porto. Com capacidade para 320 alunos por período, a escola atende do 6º ao 9º ano e também ensino médio. Um investimento de R$ 3,7 milhões.

O governador conheceu as salas de aula e depois caminhou pelo bairro até o Centro de Referência da Assistência Social. O prédio foi reformado e a obra custou R$ 60 mil. O Cras  atende 300 famílias. Ainda em Fernão, o governador anunciou duas importantes obras para a região: o recapeamento da vicinal que liga Fernão a Lucianópolis e uma operação tapa-buracos na SP-331 que passa por Gália, Alvinlândia e Lupércio.

Ainda na sexta-feira, em Presidente Alves, o governador inaugurou uma creche escola, além de outra creche de Itajú e uma escola estadual de Pederneiras. Geraldo Alckmin também assinou um termo de regularização fundiária de 550 imóveis de Presidente Alves e um convênio para construção de 99 casas populares da CDHU.

O último compromisso na região foi em Lins, onde, neste sábado, ele inaugurou um ambulatório de quimioterapia. Ele chegou em Lins pouco depois do meio dia e foi recebido por autoridades da cidade e da  região. Um grupo de funcionários do Hospital Clemente Ferreira, aproveitou a visita do governador pra protestar. Com faixas e cartazes eles cobraram o reajuste salarial da categoria, que está em estado de greve.

Alckmin não comentou o protesto. Na cidade além da inauguração da unidade de quimioterapia do Hospital Amaral Carvalho, o governador inaugurou também uma creche-escola, de educação infantil, que vai atender 130 crianças de até 5 anos de idade.

Galeria de imagens e vídeosclique na imagem para ampliar

Fonte: Globo.com

URL: http://migre.me/ufLko