Faça sua Doação Faça sua doação para o Amaral Carvalho, o Hospital do Câncer que trabalha com ética e transparência na luta pela vida.

29/03/2012 - Uma vida dedicada às análises clínicas

   A criação de um laboratório de análises clínicas. Foi o que, em 1954, o diretor clínico do Hospital Amaral Carvalho (HAC) naquela época, Pedro de Paula Brandão, pediu ao médico Evilásio Gambarini. A ideia vinha da necessidade de manter um setor especializado para auxiliar no diagnóstico clínico da instituição. Passado pouco mais de um ano, ao concluir estágio no Hospital das Clínicas de São Paulo, o patologista clínico topou o desafio e fundou o laboratório, conforme lhe foi solicitado.
   Hoje, quase 60 anos depois, é possível afirmar que a concepção dessa unidade foi um sucesso. Além do setor que atua no HAC, Evilásio criou o Laboratório Gambarini, que atualmente processa mais de 35 mil exames por mês. De acordo com o diretor presidente da Fundação Amaral Carvalho (FAC), Ricardo Cesarino Brandão, todos os resultados obtidos pela equipe coordenada por Gambarini, se devem a esse homem. "Quando foi incumbido de implantar o laboratório, Evilásio dedicou-se como ninguém. Ele, que sempre buscou por novidades e melhorias, montou o maior e melhor laboratório da região naquela época", relata.
   O presidente da FAC conta que a esposa do patologista, Ivete Gambarini, também foi uma figura importante para a história do laboratório. "Muito estudioso, esforçado, Evilásio contava com a ajuda da mulher, que sempre foi seu maior apoio. Ivete cuidou dos filhos, enquanto ele estava fora, dedicando-se ao trabalho."

Homenagem ao médico e amigo
   O médico, que também era membro do Conselho Curador da FAC, faleceu no dia 30 de outubro do ano passado, aos 87 anos. Sua esposa faleceu antes, em 1954, aos 67 anos. O casal deixou os filhos Luiz Antônio Souza Gambarini e Paulo de Souza Gambarini - este, que também é patologista clínico e atua no Laboratório de Análises Clínicas do HAC.
   Brandão afirma que, como médico, Evilásio era um dos mais brilhantes e como pessoa, o mais amigo dos amigos. "Ele marcou profundamente todos que o conheceram. Era uma pessoa alegre, engraçada. Animava qualquer reunião com seu jeito sarrista", lembra.
   Recentemente, em uma reunião do Conselho, foi proposto que o laboratório da instituição recebesse o nome do casal tão importante para o sucesso do setor. Aprovado por unanimidade, em uma homenagem póstuma, no dia 31 de março ocorreu o descerramento da placa com o novo nome do local: "Laboratório de Análises Clínicas Ivete e Evilásio Gambarini".
   O evento foi realizado após a Assembleia do Conselho Curador — que ocorre duas vezes ao ano, em março e novembro — e contou com a presença de curadores e diretores da FAC, amigos e membros da família Gambarini. O filho mais novo, Paulo, considerou a homenagem justa. "Meu pai sempre teve um apreço muito grande pelo HAC, pois foi onde iniciou suas atividades à convite de seu querido amigo, Pedro de Paula Brandão. Com os avanços do hospital, novos colegas chegaram e meu pai, com seu jeito brincalhão e sincero, sempre apoiou, aconselhou e incentivou a todos. Nos deixou saudades aquele pai, avô e amigo, que soube viver e morrer com dignidade", ressalta.

Evilásio Gambarini
 

Autor: Ariane Urbanetto / Foto: Arquivo Pessoal