7/1/2016 - Doações contribuem com assistência social no Amaral

   A partir deste mês, quem quiser contribuir com o Hospital Amaral Carvalho irá contar com o auxílio de uma relação dos produtos de uso frequente pela instituição em benefício dos pacientes. Itens de higiene pessoal, materiais de limpeza e alimentos serão listados pelas equipes do Serviço Social e Compras, e divulgados mensalmente nos perfis do hospital nas redes sociais.
   Os produtos arrecadados serão utilizados pelos serviços de assistência aos pacientes, como as Casas de Apoio disponibilizadas aos doentes que não residem em Jaú e não possuem condições de arcar com custos de hospedagem e alimentação durante o tratamento de câncer.
   O Hospital Amaral Carvalho mantém essas estruturas de apoio aos pacientes ambulatoriais, que não precisam ficar internados, mas têm uma rotina de procedimentos a seguir. Pessoas vindas de cidades distantes são abrigadas durante o tempo que precisam ficar em Jaú por conta do tratamento: recebem cinco refeições diárias, transporte ao hospital e atividades de entretenimento, sem pagar nada por isso.
   Para disponibilizar esse tipo de serviço, A Fundação Amaral Carvalho — mantenedora do Hospital Amaral Carvalho, não recebe verba do Sistema Único de Saúde (SUS), portanto, custeia com recursos próprios. Além disso, promove campanhas e parcerias, como o Circuito de Leilões da Federação Brasileira de Entidades de Combate ao Câncer (Febec) e os títulos de capitalização da InvestCap, que são destinados à manutenção das Casas de Apoio e assistência aos pacientes e seus acompanhantes.
   A lista dos produtos, de acordo com a coordenadora de assistência social Vanessa de Moraes, é uma maneira de facilitar ações de voluntários, como a organização de campanhas para ajudar o Amaral Carvalho. “Muitas pessoas nos procuram para saber como podem contribuir ou o que podem doar, portanto, resolvemos criar essa rotina”.
   As doações devem ser entregues no Almoxarifado do hospital, que irá cadastrar os produtos e distribuir aos setores específicos, como as Casas de Apoio e a Cozinha. “Com a arrecadação dos produtos da lista, podemos continuar prestando assistência aos doentes e, com a economia, investir em tecnologias e melhorias nos serviços de saúde”, completa Vanessa.

Autor: Ariane Urbanetto