14/11/2015 - Clínica de Quimioterapia deve começar a funcionar no início de 2016

Na última terça (10), a secretária municipal Claudia Nunes (Saúde) chefiou uma comitiva linense durante visita ao Hospital do Câncer Amaral Carvalho, em Jaú, onde todos foram recepcionados pelo superintendente Dr. Antônio Luiz. Durante o encontro, a representante da Prefeitura de Lins foi informada sobre a aprovação do projeto de instalação da Unidade de Quimioterapia na cidade.

De acordo com Claudinha, a unidade contará com dois enfermeiros, dois farmacêuticos e um administrador, que iniciarão na próxima segunda-feira (16) um treinamento no HAC com duração de três meses, cumprindo carga horária de 40 horas semanais. “É uma exigência do hospital de referência que todos os profissionais estejam capacitados para desenvolver o trabalho em Lins”, salienta, destacando que a clínica linense seguirá o mesmo protocolo que é adotado em Jaú.

Segundo a secretária, o prefeito Edgar de Souza (PSDB) considera a instalação da unidade como prioridade em sua gestão. “Isso proporcionará maior segurança e conforto aos pacientes que precisam se submeter a sessões de quimioterapia, pois eles não precisarão mais acordar de madrugada para se deslocar a outras cidades”,  observa Claudia Nunes.

A previsão é que os atendimentos se iniciem após o treinamento dos profissionais.

Tratamento

A quimioterapia é o tratamento realizado por meio de medicamentos que visa destruir as células tumorais. Pode ser feita antes ou após uma cirurgia, isoladamente ou junto com outros tratamentos, como radioterapia.

No Hospital Amaral Carvalho, onde são realizados 3.500 atendimentos mensais de tratamento quimioterápico, a atividade é desenvolvida pelos setores de Oncologia Clínica, Hematologia, Pediatria e Transplante de Medula Óssea. No local é prestada assistência a pacientes com diagnóstico de qualquer tipo de câncer, com finalidade terapêutica curativa ou paliativa.

A quimioterapia pode ser feita através de comprimidos (via oral) ou injeções abaixo da pele (via subcutânea), injeções no músculo (via intramuscular) ou por veias (via endovenosa), sobre a pele (cremes) e pode ainda ser realizada, em casos especiais, dentro de artérias ou diretamente em cavidades.

A Prefeitura de Lins transporta cerca de 50 pacientes para Jaú, distante 150 quilômetros. Alguns viajam até três vezes por semana para se submeter ao tratamento.

Galeria de imagens e vídeosclique na imagem para ampliar

Fonte: Jornal Correio de Lins

URL: http://migre.me/sxCbV